Patrimônio Histórico e Urbânidade em Rio Grande:

A cidade do Rio Grande por sua tradição histórica e por sua importância dentro do cenário ecônomico do Brasil sul meridional sempre foi uma região de confluência de interesses dos mais diversos povos e de tendências políticas ou ecônomicas. no decorrer destes ultimos duzentos e setenta e três anos a cidade se desenvolveu apesar de todas as dificuldades que enfrentou: problemas com imigração, conflito de fronteiras, dificuldades com a natureza, invasões espanholas e crises ecônomicas. superados esses problemas com muito sangue, suor e lágrimas, foi notável o desenvolvimento desta cidade, pois, muito fácil é observar o crescimento que se consubstanciou na forma de nossos prédios históricos e realizações culturais, entre elas podemos citar: a primeira biblioteca do RS, Câmara de Vereadores, industria textil, linha de bondes regular e refinaria de petróleo do país, entre outras.

Fica estabelecido que é na observação e valorização do nosso rico passado e nas nossas construções históricas que estão as soluções para os problemas de nossa cidade. Hoje nas grandes capitais da Europa o turismo histórico é uma realidade, pense nisso e vamos mudar a conjuntura....


sábado, 20 de março de 2010

OBRA RECOMENDADA:


Rheingantz: Uma Vila Operária em Rio Grande, de Vivian S. Paulitsch, uma obra completa e muito estimulante a leitura, aborda todos os aspectos referêntes a história da fábrica, Rheingantz e os aspectos que envolvem a vila operária e seu contexto junto a esse parque fabril, uma ótima leitura para quem quer entender um pouco mais sobre a concepção e estruturas das vilas operárias não só no Brasil mas no mundo.

"O tempo que como Cronos devora seus filhos".


Projeto que regulamenta profissão de historiador é aprovado na CAS

10/03/2010 - 16h21....A Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS) aprovou nesta quarta-feira (10) o PLS 368/09, projeto de lei que regulamenta a profissão de historiador. O autor da proposta é o senador Paulo Paim (PT-RS). O texto foi votado em decisão terminativa.O relator da matéria, senador Cristovam Buarque (PDT-DF), afirmou durante a votação desta quarta que "esse projeto não impede o desempenho da atividade de historiador por aqueles que o fazem por vontade própria ou vocação; apenas garante para os respectivos cargos públicos a exigência do diploma de historiador".O projeto define que a profissão de historiador poderá ser exercida pelos diplomados em curso superior de graduação, mestrado ou doutorado em história. As atividades desse profissional são, de acordo com o projeto, o magistério; a organização de informações para publicações, exposições e eventos sobre temas históricos; o planejamento, a organização, a implantação e a direção de serviços de pesquisa histórica; o assessoramento para avaliação e seleção de documentos para fins de preservação; e a elaboração de pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos e trabalhos sobre temas históricos.Em seu voto pela aprovação do projeto, Cristovam observa que, atualmente, a atividade do historiador não está mais restrita à sala de aula e que a presença desse profissional é cada vez mais requisitada pelos centros culturais, museus, assessoria e consultorias a empresas de publicidade, turismo e produtores de cinema, jornalismo e televisão. Por esse motivo, o relator se manifesta favoravelmente a que a profissão seja valorizada e reconhecida legalmente....www.caféhistoria.ning.com

VANDALISMO!

Infelizmente, ações de vandalismo como essa ainda são praticadas na nossa cidade, as luminárias que foram incluídas no projeto de restauração do calçadão da rua General Bacelar foram destruídas pela ação de marginais e bandidos que nada tem a ver com o espírito de solidariedade e conservação do nosso patrimônio, atitudes como essa depõen contra a nossa sociedade e devem ser combatidas sem trégua, afinal em última análise é o dinheiro do contribuinte e a nossa imagem que estão sendo jogados no ralo...cabe a denúncia, punição aos infratores e medidas educacionais que venham futuramente coibir e educar nossas crianças contra atos de barbarismo como esse...lamentável atitude!

Cassino dos Mestres:Rheingantz


Em audiência pública realizada na câmara de vereadores do Rio grande, em 9 de julho último, foi colocado a comunidade que o antigo prédio do cassino dos mestres da empresa Rheingantz, que se encontra em avançado estado de deterioração, seria entregue ao munícipio pelo governo da união, com o fim que este com o devido tempo de seis meses, apresentasse ao IPHAN (Instituto do patrimônio artistico e histórico nacional), um projeto de restauração da devida estrutura. Parecia que tudo indicava que finalmente o prédio teria sua reconstrução definitiva, porém em recente conversa que tive com o arquiteto Oscar Décio Carneiro (em fevereiro), um expert em arquitetura histórica da nossa cidade, fiquei sabendo que devido a questões burocráticas o projeto mais uma vez vai parar, visto que o IPHAN só aceita projetos desse nível para aquelas instituições que tem o devido titulo de propriedade do imóvel, acontece que esse patrimônio pertence a união e está alienado, visando um futuro leilão para resgate de dívidas trabalhistas da empresa Rheingantz, enfim o munícipio tem licença da união mas não pode encaminhar o projeto por não ser proprietário do imóvel, seria cômico se não fosse trágico, passa pela burocracia a letargia da nossa sociedade....esperemos para ver o que acontecerá, quem sabe? enquanto isso nosso patrimônio vai literalmente..... tombando!

LOJA MAÇÔNICA ACÁCIA RIO-GRANDENSE.

Loja Maçônica Acácia Rio-Grandense: possui frontão triangular, um dos aspectos característicos da arquitetura neoclássica religiosa ou civil, aparece ocupando toda a largura da fachada, apesar da exígua testada do terreno, incorpora aberturas em arco pleno e estatuária greco romana em sua fachada além da estilizaçao de colunas gregas.Rua conde de Porto Alegre, 298.

PROJETO VISÕES DO RIO GRANDE.

O projeto Visões do Rio Grande tem como objetivo mapear e registrar através de fotografia e apontamentos todos os prédios de valor histórico e arquitetônico como também outras potêncialidades da cidade do Rio Grande, dentro de uma abordagem patrimônial,visando com essa atividade ressaltar esses elementos e concientizar a coletividade para a importância da valorização do passado da cidade no que se refere não somente aos aspectos contrutivos como também ecônomicos, sociais e culturais do município.

CENTRO MUNICIPAL DE CULTURA

Centro Municipal de Cultura Inah Emil Martensen da cidade do Rio Grande, antiga câmara municipal, residência construída no final do século XIX em estilo eclético com a incorporação de vários elementos greco-romanos como colunas, adereços, estátuaria e arco pleno nas aberturas, situado a esquina da rua Marechal Floriano com Coronel Sampaio. Está situada numa região da cidade que foi de extrema importância econômica até a transferência das instalações portuárias para a região do porto novo, quando passa então por um período de decadência que recorre até nossos dias. Mesmo assim é um belo exemplo de um perído de fausto ecônomico e intensa atividade portuária e de comércio atacadista na cidade do Rio Grande, visto que o acúmulo de capital produzido pela atividade ecônomica e a migração dos capitais da escravidão para o setor construtivo possibilitaram emprendimentos de grande vulto, demarcando de forma índelevel a segmentação social que começava a surgir em nossa cidade.

sexta-feira, 19 de março de 2010

IGREJA NOSSA SENHORA DO CARMO


Templo neogotico cuja pedra fundamental foi lançada em 16 de fevereiro de 1930. sua construção deriva da abertura do beco do carmo em rua e da consequente destruição da antiga Igreja do Carmo que existia até 1929. Tem como características básicas, duas torres de grande elevação, um frontão triangular, existencia de tímpanos e rosáceas na fachada, além de uma estrutura tripla de naves, uma principal e duas laterais, a imagem de Nossa Senhora do Carmo foi criada em Buenos Aires e o Altar Mor feito em Porto Alegre.